APAMVET

Gestão ambiental aplicada a sanidade suídea

Francisco Rafael Martins Soto, Guilherme Gebara Soto

A suinocultura brasileira possui importância econômica e encontra-se no quarto lugar no ranking de produção de carne suína mundial. Seu desenvolvimento está intimamente ligado à promoção da sanidade nos planteis e a correta gestão ambiental. Dejetos sólidos, efluentes brutos de suínos, carcaças e restos de animais mortos apresentam alto poder poluente e de disseminação de doenças e devem ser tratados por processos biológicos que incluem a compostagem, a biodigestão anaeróbia e os leitos cultivados. Estas tecnologias são capazes de atingir os objetivos sanitários e ambientais. A suinocultura do século XXI deve ser voltada para a sustentabilidade nos seus principais quatro pilares da produção que são o social, o econômico, o sanitário e o ambiental, onde a sanidade e os cuidados com o ambiente devem estar associados e praticados em harmonia.

Abrir Artigo

Palavras-chave: suinocultura; doenças; resíduos; compostagem; biodigestão anaeróbia; leitos cultivados
Boletim APAMVET, v. 12 n. 2 (2021)
Comentários
Nenhum comentário encontrado!